Arte com Papapel

faça convites artesanais passo a passo

Dicas de Convite de Aniversário para Fazer em Casa

 

 

Montar uma festa de aniversário não é uma tarefa fácil. Como não é todo dia que fazemos aniversário, cada detalhe da festa deve ser muito bem pensado e organizado. Afinal, cada momento deixará sua marca registrada nas fotos da celebração. Por isso, toda atenção e cuidado serão poucos para evitar possíveis frustrações.

Mas, se tem algo que será o cartão postal do seu evento, o que vai demonstrar se a sua festa será de render elogios ou não… É o convite! Isso mesmo! Se o seu convite for bem elaborado, bem caprichado, com certeza sua comemoração será um sucesso com todos os seus convidados presentes.

Por isso é que hoje resolvemos te ajudar e, para isso, trouxemos algumas dicas e ideias incríveis para você fazer seus próprios convites em casa usando papel! Além de economizar uma boa grana, você poderá fazer o convite do seu jeito e totalmente personalizado. Confira só.

Dicas

1. Escolha um Modelo

A primeira coisa antes de fazer qualquer convite é escolher o modelo. E ele deve ser pensado de acordo com o tema da festa. Se for uma festa infantil, por exemplo, a escolha do modelo poderá ser mais fácil, pois você pode usar e abusar das cores e usar muito da sua criatividade. E mesmo que for uma festa mais formal, você também pode fazer belos cartões cheios de elegância.

Para isso, você pode buscar inspirações na internet em sites ou em blogs. Daí basta escolher o modelo que mais lhe agrada e imprimir diretamente para o papel. Se você tiver um pouquinho de habilidade com programas de design gráfico também pode criar um exclusivo para você.

O Canva, por exemplo, é um site de Design Gráfico on-line que permite qualquer pessoa montar seus próprios modelos de convite. Eles disponibilizam várias artes pré-prontas, onde você pode modificar o que quiser ou criar um totalmente do zero. A maioria das artes é gratuita, mas tem outras bem bonitas também por um precinho que vale a pena investir para ter lindos convites.

Porém, caso você queira algo totalmente inovador, você pode usar da sua originalidade para produzir seus modelos à mão! Mas tenha em mente que isso poderá levar um pouco mais de tempo se fizer em todos os convites. No entanto, imagine a honra que seu convidado terá em receber um convite feito artesanalmente por você!

2. Tenha Cuidado com os Dados da Festa

No convite de aniversário você deve colocar os principais dados da festa como a data, local, horário, nome do aniversariante e os anos que está completando. Se quiser colocar alguma frase que combine com a festa, também é liberado.

Mas atenção! É apenas uma frase. Não se deve colocar textão em convites. Além de alguns não terem paciência para ler, fica totalmente inapropriado, pois o convite é feito para lembrar as informações principais. Guarde o discurso para o momento da festa.

3. Evite os Erros

Sei que pode tomar um pouco mais do seu tempo, mas antes de finalizar o convite, revise todas as palavras e veja se há algum erro gramatical, de concordância ou outro erro qualquer. Revise também a arte para ver se não tem nenhum detalhe fora do lugar. Já pensou que feio seus convidados receberem um convite cheio de erros?! Portanto, vale a pena dar mais uma olhada e evitar os erros!

Vamos às Ideias de Convites Para Você se Inspirar

1. Convite Universal

convite feito com papel colorido

Este convite é um convite versátil. Por ser bem colorido, você pode utiliza-lo para qualquer tema.

Você vai precisar dos seguintes materiais:

• Régua;
• Cola em bastão;
• Lápis;
• Tesoura;
• Papel Sulfite, color set ou couche branco;
• Folhas coloridas;

Passo 1 – Base para o envelope: Pegue uma folha de papel colorido e a partir do centro, desenhe um quadrado com 15 cm.

Passo 2 – Partindo das linhas do quadrado, dobre a folha em 3 partes.

Passo 3 – Meça 8 cm do topo do papel até ao quadrado e recorte as abas do envelope, tanto a de cima quanto a de baixo;

Passo 4 – Desenhe um triângulo nas abas laterais das pontas do quadrado até o limite do papel e recorte-o.

Passo 5 – Folha dos dados: recorte um quadrado um pouco menor na folha sulfite e cole na parte interna do envelope.

Passo 6 – Com retalhos de folha colorida, recorte e cole figuras como círculos, triângulos, folhas… Use sua criatividade!

2. Convite Picolé

carta convite em forma de picole

Materiais:

• Folha colorida;
• Tesoura;
• Régua;
• Cola quente;
• Palito de 18 cm.

Para este convite basta dobrar a folha colorida ao meio e desenhar o formato de um picolé, assim como está na imagem. Recorte o molde e cole no palito. Esse palito você pode encontrar em qualquer casa de artigos para festa. Na parte interna, você pode montar em um programa como o Word, imprimir e colar. Esse convite é muito simples e bem fácil de fazer.

3. Convite Arraiá

são joão

O convite arraiá, como o próprio nome sugere, é inspirado em festas juninas. Ele também é bem simples de se fazer. Pois você só vai precisar de:

• Palitos de picolé;
• Hidrocor preto;
• Cola quente;

Conforme a imagem, basta colar os palitos um no outro até formar um tipo de barraca. O boneco que está na parte interna você pode comprar pronto ou desenha-lo em papel sulfite, recortar as extremidades e colar atrás da barraca.

4. Convite Laço

Este é um dos mais fáceis do artigo. A parte interna faça no programa word e imprima em papel sulfite. Após recorte em um retângulo no tamanho que desejar. Dobre as abas laterais e nas mesmas faça um furo. Pegue uma fita de cetim e passe nos dois furos. Depois é só dar o laço como quiser.

Veja abaixo outras imagens de lindos convites para você se inspirar:

 

convites de papel para festas

 

 

 

Fonte imagens:

  1. www.revistacrescer.globo.com
  2. www.br.pinterest.com
  3. pxhere.com
embrulhar artesanato para envio correios

Dicas para embalar artesanato corretamente

 

No artesanato, como na parte final de todo e qualquer processo de compra, é o momento da entrega de seu produto. E para os clientes, é o momento mais aguardado, o de finalmente receber o item em sua casa, onde o mesmo tenha comprado em um espaço físico ou via internet.

Receber um artesanato quebrado, ou mesmo mal embalado, além de causar uma impressão extremamente negativa de seu trabalho, vai fazer com que o cliente provavelmente não volte em procurar seus trabalhos.

Para criar uma boa impressão, fazendo sua embalagem com carinho, surpreendendo seus clientes com aquele “quê” a mais, será um mimo que certamente fará ele se lembrar de você em compras futuras.

O primeiro contato físico com o seu trabalho, está na embalagem do seu produto, então você não poderá subestimá-la, pelo contrário! Todas as pessoas que trabalham com artesanato, inclusive quem vende criatividade e estética, normalmente lida com produtos frágeis, precisando de uma proteção correta para seu artesanato.
E nada melhor do que entregar uma embalagem segura e ao mesmo tempo, bonita para os seus clientes. Hoje daremos dicas para embalar artesanato corretamente, e você arrasar em suas entregas. Confira.

embalagem para artesanato

Embalagem interna

Opte por uma caixa de papelão, onde você entregará para os correios, e dentro você precisará fazer uma proteção para o seu produto, aproveitando o espaço para colocar sua marca própria e ainda humanizar o seu contato com seus clientes.

De jeito algum, você deverá deixar o produto solto dentro de uma embalagem. Como? Pode ser por meio de plástico bolha, algum tipo de saquinho e etc.

Se a encomenda conter mais de um item, a dica é embalar separadamente, um a um, e assim coloca-las em uma caixa forrada por dentro.

Para dar aquele famoso toque especial, agregando ainda mais valor para sua embalagem, borrife alguma essência em seus produtos, criando uma maior atmosfera de aconchego e acolhimento de seus produtos.

A essência deve ser escolhida corretamente, e utilizar a mesma sempre, criando um estilo de marketing olfativo com seus clientes. Utilizando sempre a mesma marca, porém, tendo o cuidado de não escolher por algo muito forte ou mesmo que possa causar manchas em seu artesanato.

Uma excelente ideia também, é adicionar um “mimo” aos seus clientes, que pode ser tanto um bilhete personalizado ou algum tipo de brinde, fazendo-se agradecido pelo cliente optar por seu trabalho, contando sobre como o produto foi feito artesanalmente, e com todo o carinho que o mesmo merece.

O contato com clientes já acaba sendo tão virtual, ou mecânico melhor dizendo, que ao humanizar o seu contato, você vai fazer a diferença no momento da experiencia de compra de seus consumidores. (Veja algumas ideias de embalagens neste outro artigo aqui.).

Embalagem externa

A embalagem externa não foge muito do comum, mas tome o cuidado de escolher uma caixa de papelão, que seja um pouco maior do que o tamanho do seu artesanato.
O ideal mesmo, é que ela não seja excessivamente maior, até porque os Correios efetuam suas cobranças pelo tamanho e peso de sua encomenda.

Os Correios efetuam a venda de diversos tamanhos de caixas, mas isso pode ser um gasto extra que você não queira arcar. Uma boa dica, é reutilizar caixas de papelão, fazendo você mesmo sua decoração, dando toques de sua personalidade à suas embalagens.

Você pode utilizar fitas adesivas coloridas, carimbos ou adesivos que citem sua marca. Mas fique atento as sugestões de embalagens dos Correios.

Tome o cuidado de embalar a caixa escolhida com papel pardo, vedando toda a embalagem com fita adesiva, e a dica é optar sempre pela transparente.
Carimbe o papel pardo, com o logo de sua marca, e coloque um toque a mais, mesmo que discreto, tendo somente o cuidado de não tampar informações como remetente, nome de entrega e endereço dos mesmos.

Para terminar

Não se esqueça de antes de enviar seus produtos, deixar bem claro para seus clientes, em quanto tempo ele poderá chegar até seu destino final. Uma boa dica, é não falar o tempo exato, deixando alguns dias a mais de “folga”.

Por exemplo, se você conseguir entregar seus produtos, em até 10 dias, fale que você irá entrega-lo em aproximadamente 15 dias. Dessa maneira, você poderá contar com algum tipo de imprevisto, que infelizmente as vezes acontece, e mesmo assim vai deixar seus clientes satisfeitos, quando fizer a entrega em somente 10 dias.

E para deixar o contato e o processo ainda mais cuidadoso, envie um e-mail após o recebimento do produto para seus clientes, agradeça por terem efetuado a compra, e aproveite para apresentar algum tipo de oferta, aguçando a vontade do mesmo comprar novamente.

A palavra de ordem, é tentar se manter o mais “próximo” de seus clientes, fazendo com que eles se sintam acolhidos e especiais. Essa é uma excelente característica de quem trabalha com artesanato, e você deve aproveitar dessa proximidade e qualidade, para conseguir vender cada vez mais.

Capriche na embalagem de seu artesanato, tendo o cuidado de fazer o processo cuidadosamente, e verá como terá diferença em seus resultados.

Quais outros cuidados você tem ao embalar seus artesanatos? Escreve um comentário abaixo e ajude outras pessoas 🙂

 

 

 

Fonte imagens

www.pixabay.com

Cinco tipos de cola para artesanato que você precisa conhecer

 

 

 

Quando decidimos fazer artesanato, nos deparar com várias etapas no processo do trabalho, dentre essas etapas está a de escolher os melhores materiais para o projeto. Trouxemos então alguns tipos de cola para artesanato que você precisa conhecer antes de iniciar o trabalho.

É bem verdade que as opções de cola são diversas, mas nem sempre sabemos exatamente como utilizá-las, com tantos materiais como borracha, tecidos, cordas e pedraria, fica difícil escolher a correta.

Abaixo trouxemos cinco tipos de cola para você conseguir descobrir qual é a melhor para o seu trabalho.

Cinco tipos de cola para artesanato que você precisa conhecer

1- Cola Branca Escolar:

Muito tradicional e muito conhecida, a cola branca é vendida em qualquer papelaria e é mais indicada para projetos que são escolares ou caseiros. Ela até que consegue colar alguns tipos de tecido, entretanto, esses tecidos não podem ser muito grossos.

Entre as suas opções ele fica melhor no papel seda, cartolina, crepom e sulfite.

A sua maior vantagem é que além de barata ela é facilmente encontrada, e sua maior desvantagem é que ela não costuma ser utilizada para trabalhos profissionais.

cola branca scotch para trabalho escolares em diversos materiais

2-Cola Branca Extra 

Mesmo tendo características parecidas com a cola branca escolar, esse tipo de cola tem algumas outras qualidades o que a torna mais utilizada no mercado profissional.

A sua diferença começa exatamente nisso, ela pode e consegue atender as necessidades do mercado profissional, ao contrário da primeira opção.

As opções das quais ela pode suprir a necessidade do mercado profissional está na encadernação artesanal, projetos de decoupage e álbuns de capa dura.

Ela cola vários tipos de tecidos e materiais não compactados. Entre as suas melhores qualidades está em ser barata assim como o primeiro tipo de cola mencionado e ter um bom rendimento, sem esquecer de mencionar que após secar ela consegue ficar transparente.

Entretanto, ela também tem seus pontos negativos, além de ser necessário itens específicos para conseguir aplicá-la, sua secagem demora cerca de quatro horas (podendo levar mais tempo dependendo da região onde você mora e da umidade) e não pode ser utilizada em trabalhos profissionais que serão lavados.

Tubo de cola branca da marca cascorez

3-Cola E6000 Importada e E600 Nacional 

As duas colas citadas, E6000 e E600 tem os mesmos objetivos, colar materiais que contém uma difícil aderência, com alta qualidade e muita precisão.

Entre os itens dos quais elas conseguem colar com êxito está plástico, acrílico, borracha e vidro, não esquecendo de mencionar trabalhos artesanais que envolvem pedrarias.

Obviamente entre uma das suas várias qualidades está a sua resistência a água. Ela também seca rapidamente e não tem a necessidade de nenhum item para conseguir aplicá-la.

Entretanto, existe também algumas desvantagens que vale a pena ser mencionada, como por exemplo, o seu preço elevado e não ser fácil de serem encontradas.

cola para colagem de peças

4-Cola Pano 

Dentre a sua utilização, a cola de pano é comum em trabalhos com decoupage em tecidos, marcar bainhas e costuras.

Assim como todos os outros tipos de cola, ela tem suas vantagens. Ela vem pronta para uso e não necessita de nenhum tipo de preparação. Sua aplicação pode ser feita com itens comuns, como por exemplo bico aplicador e também pinceis, é solúvel em agua, ou seja, caso você mude de ideia do que pretende fazer no seu trabalho, você consegue fazer mudanças e também pode substituir costuras.

Com tantas qualidades, não poderíamos deixar de mencionar as suas desvantagens. Entre elas está que os tecidos que podem aplicar esse tipo de cola precisa ser 100% algodão e ela consegue manchar alguns tecidos que são muito finos, sem esquecer de mencionar que você não pode lavar muito.

Cola ideal para colagem de tecidos e panos

5-Cola Permanente 

Utilizada em materiais como madeira, feltro e tecido, a cola permanente consegue ser aplicada em vários tipos de trabalhos. Sua secagem ocorre em 30 minutos, mesmo dentro das diversidades de materiais que podem ser trabalhados.

Ela também consegue fazer o reposicionamento de outros matérias várias vezes.

Dentre as suas qualidades está a sua resistência a água e diferentemente da cola quente ela não fica amarela com o passar do tempo. Ela consegue ser aplicada com tipos de itens como pincel e consegue remover as peças, caso mude de ideia.

Entre os seus malefícios está que ela não pode ser removida depois de colocada na superfície e em algumas circunstancias ela terá que ser aplicadas novamente dependendo da frequência em que é utilizada. Ela é muito grudenta quando molhada e possui um odor muito forte, sendo necessário usá-la em locais bem ventilados.

Tudo de cola permanente da marca acrilex

6-Cola Quente

Pouco provável que você trabalhe com artesanato e nunca irá precisar da cola quente. Conhecida no meio artesanal ela consegue colar vários tipos de materiais, entre eles acrílico, plásticos, tecidos, EVA e até renda.

Entre as suas qualidades está a sua ótima aderência em materiais não compactados e ela consegue secar instantaneamente, substituir a costura em alguns tecidos, e utilizável para quase todos tipos de matérias e não perdendo a sua aderência com o tempo.

Entre as suas desvantagens está a necessidade de o profissional ser ágil quando aplicá-la, pois, ela seca rapidamente. Não podemos esquecer de mencionar que ela pode aderir um tipo de cor amarelada com o passar do tempo e que deve ficar longe de crianças, pois a sua alta temperatura pode machucar.

pistola e tubo de cola quente

Conclusão

Mesmo existindo outros tipos de colas para artesanato, essas mencionadas no post de hoje são as mais utilizadas, sem esquecer de mencionar que podem ser utilizadas em qualquer tipo de trabalho.

Se você gostou deste artigo ou tem alguma sugestão de cola, deixa um comentário abaixo 🙂

 

 

 

 

Fonte Imagens:

  1. www.papelariaartnova.com.br
  2. www.delishbeads.com
  3. www.armarinhosaojose.com.br
  4. www.aquarelapapeis.com.br
  5. www.flipkart.com
  6. www.extra.com.br
  7. www.pxhere.com
aprenda sobre dobraduras para decorar a casa

6 ótimas ideias de dobraduras de papel para fazer e decorar a casa

 

 

Com o artesanato, temos várias possibilidades de decorar a casa, eventos, aniversários, entre outras coisas que se pode promover. 

Um dos modos de se decorar a casa é utilizando dobraduras.

De uma forma variada e formatos diferentes, você consegue modificar todo o design do seu ambiente, apenas aplicando esse tipo de itens, que deixa o local sempre muito atraente e convidativo.

Pensando em tantas formas de se fazer uma decoração em casa com dobraduras, trouxemos 6 ótimas ideias, para que você conseguir utiliza-las e decorar o seu ambiente.

6 Ideias de dobraduras de papel para fazer e decorar a casa

1. Abajur com dobradura

Você já pensou conseguir fazer um abajur à base de cola quente e pratinho de papel? Não? Bom. Essa ideia é incrível e os abajures ficam realmente maravilhosos. Você pode colocar em qualquer ambiente da sua casa, como sala, escritório e até mesmo no quarto.

Para que você consiga desenvolver essa ideia você irá precisar apenas de:

• Pistola de cola quente;
• Pratinhos de papelão descartáveis.
• Base para lâmpada de abajur;

Depois de concluído ele deve ficar assim:

2. Escultura feita de dobradura

Essa é definitivamente uma das melhores ideias para se decorar a sua casa, além de decorar muito bem todo o ambiente, você consegue com muita facilidade customiza-lo para qualquer local. Quarto, sala, cozinha, enfim, todos os lugares conseguem receber muito bem essa escultura.

Para que você consiga desenvolver esse projeto você irá precisar de:

• Régua (de preferência de metal);
• Lápis;
• Tesoura;
• 8 1/2 por 11 polegadas (Papel da cor que preferir – Se não souber qual papel utilizar leia esse artigo);
• Superfície de corte;
• Fita de pintor removível;
• Lâmina para recorte;
• Placa de espuma (opcional);

Após finalizado, a escultura deve ficar assim:

 

escultura de parede feita com papel

3. Cachepô feito de papel

Outra ótima ideia que pode ser desenvolvido para deixar o design da sua casa ainda mais aconchegante e lindo é fazendo vasos de Cachepô, que é feito de papel. A ideia é você escolher algum tipo de recipiente que possa colocar água para envolver a moldura.

Para que você consiga fazer esse objeto você irá precisar:

• Lápis;
• Tesoura;
• Cola;
• Régua;
• Ferramenta para vincar o papel (pode ser tampa de caneta);
• Papel colorido tamanho A4;

Ao final, ela deve ficar assim:

Cachepô utilizando papel cinza

4. Guirlanda em Dobraduras

Para quem quer decorar o seu ambiente deixando ele ainda mais colorido e acolhedor, tudo isso de uma forma simples e econômica, a melhor indicação é as Guirlandas em dobraduras, além de você conseguir colocar em qualquer ambiente da sua casa, eles ficam lindos, em um fundo branco.

Mesmo tendo a necessidade de muitos materiais, eles podem ser encontrados nas melhores papelarias por um baixo custo.

Para que você consiga fazer esse objeto você irá precisar:

• Papéis Filiperson;
• Filipaper metálico;
• Filipaper Artes;
• Filipaper Décor;
• Pistola de cola quente;
• Tesoura;
• Estilete;
• Régua
• Lápis;

Após concluído, ele deve ficar assim:

guirlanda circular feita com papéis decorados

5. Quilling

Ele passou a ganhar mais atenção em ambientes decorativos apenas nos últimos anos, entretanto, as opções de Quilling conseguem ser diversos, dando-lhe os melhores formatos de desenhos, do qual a criatividade não vai faltar.

Caso você não goste de alguns formatos, existem vários outros, do qual com certeza, irão lhe interessar.
O melhor de fazer esse design é que ele é bem econômico e não necessita de muitos materiais.

Para que você consiga desenvolver essa atividade, você irá precisar de:

• Papéis color set plus;
• Cola branca;
• Palito de dente;
• Moldes do desenho;

Depois de finalizado, a escultura que você escolher fazer deve ficar, mais ou menor com essa aparência:

6. Borboletas de papel com dobraduras

Esse definitivamente é um design que não deve sair de moda enquanto o artesanato existir. Dificilmente hoje, algum ambiente fica desconfortável ou feio quando se tem essas borboletas de papel executadas através das dobraduras.

Digo isso porque, elas cabem em todos os ambientes podendo ser diversos em vários requisitos, partindo apenas do seu executor na hora de fazer, que pode escolher quais cores podem ser utilizadas, fazendo esse design combinar com o ambiente.

Para você executar essa atividade você irá precisar:

• Cordão ou barbante (você escolhe);
• Lápis;
• Tesoura;
• Fita adesiva;
• Bolinhas plásticas;
• Papel cartão (as cores ficam a sua escolha);
• Galho seco de arvore (não é obrigatório);

Após concluído, ele deve ficar assim:

Conclusão

Podemos concluir então que, definitivamente, existe hoje várias formas de você conseguir decorar a sua casa sem precisar gastar muito. Com essa técnica de artesanato utilizando dobraduras, você consegue modificar totalmente o ambiente da sua casa ou do escritório, deixando-o assim ainda mais cativante e convidativo.

Outro item que é interessante mencionar é que não é preciso de nenhum profissional de design para executar essas atividades, sendo totalmente possível mesmo se feito por você.

As técnicas são simples e facilmente aprendidas.

 

Qual ideia você mais gostou? Deixa um Comentário Abaixo:

 

Fonte das fotos:

  1. https://br.pinterest.com/pin/757941812258882864/
  2. http://crazzycrafts.com/category/quilling/
  3. http://howaboutorange.blogspot.com.br/2012/08/make-easy-diy-wall-art-from-folded-paper.html
  4. http://crocheepontos.blogspot.com.br/2014/11/luminaria-de-pratos-descartaveis.html
  5. http://decorarmaispormenos.uol.com.br/confira-um-passo-a-passo-de-cachepo-de-papel/
  6. http://rioartesmanuais.com.br/artesanato/2015/12/passo-a-passo-guirlanda-em-dobraduras/
mesa com materiais para aula de artesanato

7 Dicas Para Quem Deseja dar Aulas de Artesanato

 

 

Por meio da arte as pessoas expressam seus sentimentos e emoções mais profundos. É uma forma de relacionamento entre pessoas. Assim, no caso do artesanato, esse contato pode ser feito através de exposições e vendas ou através de ministrações de aulas.

Infelizmente não é todo mundo que possui essa sensibilidade e talento para passar adiante. Mas se você possui esse dom e não está mais aguentando guarda-lo com você e deseja transmiti-lo ao mundo, confira só essas 7 dicas para dar aulas de artesanato.

#Dica 1: Domine a Técnica Que Você Deseja Ensinar

É praticamente impossível dar aulas de algo sem ter o mínimo de conhecimento sobre o que se quer ensinar. Com o artesanato não é diferente. Você deve analisar o que sabe e só então pensar em lecionar. Descubra qual é a técnica em que você se sai melhor e especialize-se nisso. Até porque se você não conhecer muito bem o assunto, de alguma forma seus alunos saberão. E imagina só que chato perder os alunos por não dominar a própria área?!

#Dica 2: Aposte nas Apostilas de Artesanato

Por não ser obrigatório o uso de apostilas, vai a critério do professor. Alguns gostam de utilizar por acharem uma ferramenta eficaz de aprendizagem. Outras já nem tanto e preferem mais a prática a anotações. No entanto, independente das preferências, estudos comprovam que fazer alguns registros durante a aula podem ser benéficos para absorção do conteúdo.

Com isso, você pode até não instituir a utilização de apostilas como regra em suas aulas. Mas seria interessante se você orientasse seus aprendizes a levar algum material para fazer alguns registros do que está sendo dito. Como a maioria das pessoas não conseguem absorver tudo o que um professor diz, as anotações podem ser fundamentais para dar continuidade dos estudos em casa.

#Dica 3: Se Comunique de Forma Didática

Se seus alunos forem iniciantes no mundo do artesanato, você deve ter em mente que eles vão precisar de uma explicação bem clara. Procure passar o conteúdo de forma mais didática possível. Faça comparações, gesticule durante as aulas, pratique junto,… Torne o ambiente mais descontraído. Busque sempre novas formas de ensino para que as técnicas sejam bem compreendidas por eles.

Mas não abra mão de termos técnicos. Os aprendizes precisam se habituar a linguagem própria do artesanato. Independente do motivo de cada aluno, o seu objetivo deve ser o de formar artesãos profissionais e não apenas curiosos com um mero conhecimento sobre o assunto. Eles precisam fazer a diferença no mercado e demonstrar que foram muito bem ensinados por um profissional.

#Dica 4: Escolha um Bom Lugar para Ministrar as Aulas de Artesanato

Você pode escolher uma loja, casa ou ateliê para ministrar suas aulas. Mas a atenção deve ser redobrada quanto à estrutura do ambiente. A iluminação deve ser adequada para visualização do que está sendo feito. Arejado para que seus alunos fiquem confortáveis. E aconchegantes para estimular a criatividade deles. A instalação de um banheiro também se faz necessário.

#Dica 5: Saiba Lucrar

Há quem pense que dar aulas de artesanato não gera um bom lucro. Mas estão completamente enganados. A partir do momento que você domina bem o assunto, explica de forma clara em um bom ambiente, suas aulas terão um sucesso incrível. Mas para isso você deve também conquistar os alunos.

Um professor não é só alguém que transmite o que sabe. Ele deve se tornar um amigo do seu aluno. É claro que cada um possui suas especificidades. Portanto, você tem que se atentar para o perfil de cada um. E só então, depois de possuir a permissão para se aproximar, mantenha certo nível de amizade e preocupação. Isso ajuda a estreitar os laços e construir uma boa reputação.

Dessa forma, o dinheiro será uma consequência prazerosa do seu trabalho. Dinheiro este que, poderá ir além de uma renda extra e tornar a renda principal de sua casa. Mas saiba que para chegar a esse nível, é preciso muita dedicação e amor pelo seu trabalho.

#Dica 6: Avalie o Preço que Deseja Cobrar

Geralmente os artesãos cobram em média um valor entre R$50,00 e R$150,00 em cada aula de 3 a 4 horas. Porém, esse preço varia muito de região para região e se o material está incluso ou não. Normalmente em lojas as aulas costumam ser um pouco mais baratas. No entanto, os alunos ficam totalmente influenciados a comprar o material. Por isso, avalie muito bem toda sua estrutura para cobrar de forma justa e evitar possíveis constrangimentos aos alunos.

#Dica 7: Pode Valorizar os Certificados mas Priorize o Conhecimento

Como são cursos livres, não há nenhuma exigência para o professor ter e emitir certificado. O que importa e o que vai valer para o exercício eficiente do aluno são a experiência e habilidade do instrutor. Mas é importante que você sempre busque novas informações e técnicas dentro de sua área.

Também não há problema algum em fazer uso de diplomas. Alguns artesãos utilizam esse documento quando promovem exposições ou ministram algum curso com temas específicos. Nesses casos, basta inserir o tema da exposição ou curso, nome do aluno, duração e assinatura do professor.

Não há nenhum mistério em dar aulas de artesanato. Seguindo essas dicas e incrementando com uma bela divulgação, suas aulas serão as mais badaladas de sua cidade. E aí, bora começar?!

O que é scrapbook?

 

 

 

Se você trabalha com artesanato você já deve saber o que é Scrapbook, mas caso você seja um leigo, o percentual de você saber é um pouco menor, já que até a pouco tempo poucas pessoas falavam sobre ele.

Para algumas pessoas esse tipo de álbum de lembranças pode ser um pouco complexo para aprender a fazer, porém no decorrer desse post, iremos ensinar um passo a passo de como fazer um scrapbook do seu jeito, mas afinal, o que realmente é Scrapbook?

O que é Scrapbook?

album scrapbook

Em uma tradução livre, o Scrapbook é um álbum de recortes onde você pode guardar todo tipo de recordações, através do registro de histórias como fotos, cartas, pequenos itens, tudo para que você consiga registrar momentos de forma criativa.

Esse estilo de álbum é feito a muitos anos, estudos históricos dizem que a mais de 100 anos, mais precisamente em 1839, quando fotos e cartas eram guardadas no meio de livros. Porém, assim como qualquer outro objeto ele teve a sua evolução durante o decorrer desse tempo.

Atualmente existem indústrias especializadas, denominadas scrapbooking com centenas de matérias que podem ajudar na confecção desse tipo de álbum.
Os tamanhos podem ser variados, assim como as características e o manufaturamento.

Como fazer um Scrapbook?

Álbuns como o Scrapbook sempre tem um preço elevado para a sua criação, e mesmo assim, não é fácil fazer com que ele fique com a sua cara, afinal, para ele ter esse efeito ele precisa ser desenvolvido exclusivamente por você.

Pensando nisso, trouxemos um passo a passo de como fazer o seu próprio scrapbook.

 

ferramentas utilizadas para fazer scrapbook

 

Passo a passo para se fazer um Scrapbook

Passo I – Antes de começar a colocar a mão na massa, é preciso que você descubra qual tema você irá fazer para elaborar o seu scrapbook. Será muito útil isso no decorrer da sua produção. Você poderá fazer um álbum de recordações, um diário pessoal, um diário de viagem, álbuns de fotos, anotações e recordações.

Passo II – Depois de decidir como você irá fazer o seu scrapbook e qual será o seu tema, é preciso que você adquira os materiais decorativos que você irá precisar para emoldurar o seu álbum. Essas opções podem ser cartolinas, flores de papel, fitas de cetim, botões, glitter, adesivos, papéis decorados, perolas autocolantes, entre outras opções.

Passo III – Para que o seu álbum seja muito bem feito é preciso que você busque também por materiais que irão lhe ajudar a preparar e montar o seu scrapbook.
Essas opções poderão ser encontradas em várias papelarias, as opções vão de colas de tecido, fitas, tesouras específicas para artesanatos, régua até estilete para recortes específicos.

Essa etapa é importante também para que você escolha o seu caderno, ele pode ser de argola ou encadernado manualmente.

foto de um scrapbooking

Articulando e moldurando o scrapbook

Passo IV – Comece então a cobrir o seu scrapbook, a capa e a contracapa, usando de preferência a cola scrapbook, pois ela não irá enrugar o papel do seu álbum.
Aqui já ficará a sua escolha a forma que quer otimizar como, por exemplo, com tecidos, cola quente, cartolina para conseguir disfarçar as dobras e outros materiais.

Use estampas que sejam mais simples e discretas, pois você irá complementar com outros elementos. (Veja mais sobre combinação de cores nesse artigo)

Passo V – Para muitos essa é a melhor parte de decorar o seu próprio caderno. É importante que você tenha uma simples noção do que você irá fazer no seu livro de recordações. 

Para que você faça um bom trabalho, se dedique ao tempo de fazer alguns testes na capa do seu álbum para que você saiba como fazer no decorrer das páginas subsequentes.

É importante também que durante esse processo você busque por mais ideias de álbuns que possam lhe ajudar.

diversos adesivos para scrapbook

Passo VI – Assim que você tiver certeza de como você irá querer que o seu scrapbook fique você poderá então ir colando as molduras para que elas fiquem de forma adequada em cada uma das páginas que você escolheu.

É natural que quando terminar você considere ele uma grande bagunça em uma primeira olhada, mas com o decorrer irá ver que não ficou desta forma e será bem divertido compô-lo com suas histórias e lembranças.

 
Conclusão

 

Dentro do meio artesanal o Scrapbook é realmente uma ótima técnica para que você possa guardar lembranças, histórias, torná-lo um diário de imagens entre outras coisas.

As opções dadas durante o passo a passo mostraram que você consegue fazer rapidamente um lindo Scrapbook e sem a necessidade de gastar muito, pois cada um dos materiais pode ser utilizado durante todo o processo de criação.

A ideia é sempre você fazer o seu para que ele se pareça exatamente com a forma que você deseja. Com o nosso passo a passo acima, acreditamos ter ficado mais fácil o desenvolvimento dessa nova ideia de trabalho.

 

Fonte da fotos:

https://www.scrapbooking.com/

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Herramientas_para_Scrapbooking.jpg

https://www.femmeactuelle.fr/deco/loisirs-creatifs/idees-creatives-scrapbooking-00320

materiais e ferramentas utilizadas para encadernar

Dicas de materiais e ferramentas para encadernação artesanal

 

 

A encadernação artesanal é uma prática do artesanato que consiste em agrupar e encapar livros, cadernos ou outros objetos de papelaria. Esse processo leva uma boa dose de criatividade e ornamentação que envolve vários materiais.

A tendência do momento é o DIY (Do it yourself) ou “faça você mesmo”. A ideia é que você possa criar seus próprios produtos. Além de garantir economia, você pode também usufruir de um item que tem tudo a ver com a sua personalidade.

E ainda há a possibilidade de conseguir ganhar dinheiro através desta técnica. A encadernação está ganhando muitos seguidores e você pode fazer parte deste crescimento.

Nesse artigo, nós apresentaremos a você dicas de materiais e as ferramentas necessárias para a elaboração dos produtos.

Ferramentas necessárias

É muito importante que você saiba quais ferramentas devem ser utilizados para a confecção dos seus produtos. Você pode ganhar bastante tempo com o uso de peças adequadas e moldadas para aquela função.

  • Base de corte. É o local onde você irá realizar o trabalho. Fazer cortes e colagens. Deve ser resistente. A base de corte já vem com numerações e medidas que facilitam muito o trabalho.

Dica de substituição: Vidro plano, de preferência temperado e régua.

  • Gabaritos. São os substitutos das réguas. Já vem com medidas e também facilitam bastante as marcações.
  • Dobradeira. Peça fundamental para fazer vincos e dobras. É um investimento que deve ser considerado.

Dica de substituição: espátula.

  • Rolo de espuma. Serve para espalhar cola nas peças. Evita bastante sujeira.
  • Pincel. Esta ferramenta também é usada para espalhar a cola. Só que em lugares que o rolo de espuma não alcança.
  • Régua. É a ferramenta curinga. Utilizada para fazer medidas. Prefira as mais resistentes de alumínio, por exemplo.
  • Espátula. Utilizada para fazer vincos e dobrar tecidos e peças.
  • Fio de cabelo. Ferramenta com formato triangular, de material Super indicado para fazer as pontas das capas. Também pode ser feita com papel.

Dica de substituição: a sua própria ferramenta feita com outros materiais.

regua fio de cabelo feita com papel
Régua fio de cabelo feita com papel
  • Estilete ou cortador circular. Ferramenta indispensável para fazer cortes, principalmente de papel.
  • Tesouras. Se possível reserve uma para cada tipo de material.
  • Agulha. Nesta seção existem vários tipos: para costura interna, apenas para facilitar a costura, para furar materiais mais resistentes etc.
  • Furador de papel. Também encontrado em dois tipos. O estilo alicate, para furos menores e o de furos variados em formato de figuras por exemplo.

 

Agulhão furador

Essas ferramentas são conhecidas de quem já trabalha com artesanato. Caso estejacomeçando agora neste ramo e não possa adquirir todas as peças, você pode substituí-las por objetos encontrados em casa. Ou pode fazer as suas próprias ferramentas.

De forma alguma a ausência de alguma destas ferramentas é motivo para você desistir de trabalhar com encadernação artesanal. Experimente ir trabalhando com o que você possui ou for mais fácil adquirir e pesquise meios de fazer substituições.

Curso Online Grátis

Se divirta fazendo um álbum artesanal que seus amigos irão amar

À medida que o tempo for passando e o seu trabalho for aumentando, você incrementa sua mala de ferramentas para encadernação.

Materiais necessários para encadernação artesanal

Procure adquirir um pouco de cada material. Ofereça beleza e variedade aos seus clientes. Além de focar na qualidade dos mesmos que vão refletir na durabilidade do seu produto.

  • Tecidos de algodão. Para forrar capas e caixas cartonadas. É um dos materiais mais utilizados.
  • Renda. Dá um toque romântico ao objeto. Escolha cores diversas.
  • Fitas. Podem ser de tecido, de cetim etc. Tenha estas fitas em boa variedade.
  • Letras e apliques em MDF. Perfeito para ser usado em capas de álbuns de casamento.
  • Adesivos. Meia pérolas para temas mais sofisticados e variados adesivos para scrapbook.
  • Carimbos decorativos. Para enfeites em geral.
  • Cola branca. É a cola para uso comum. Pode ser usada em colagens diversas no artesanato.
  • Papel para scrapbook. Para forro interno e externo. Procure oferecer bastante variedade de papéis.
  • Ilhós. São pequenas peças de metal que ficam ao redor dos furos.
  • Fio encerado. Para fazer a costura interna dos livros e cadernos.
  • Papéis variados. Para miolos e contracapas. Existem muitas estampas bonitas, para diferentes gostos.

Onde encontrar as ferramentas e os materiais?

Essas ferramentas que listamos podem ser facilmente encontradas em:

  • Lojas de artesanato
  • Papelarias
  • Armarinhos
  • Lojas de tecidos
  • Lojas físicas ou virtuais

Quanto investir?

O valor que você deve investir na compra de ferramentas e materiais para começar o seu trabalho de encadernação artesanal vai depender muito do quanto você realmente tem disponível.

Para baratear os custos, que são inevitáveis em qualquer negócio, você deve fazer pesquisa de preços de tudo o que vai precisar. Produto caro não significa produto de qualidade, muitas vezes.

Converse com pessoas do ramo e peça dicas de locais com preços acessíveis. Geralmente as lojas virtuais possuem preços menores que os das lojas físicas.

Busque formas de fazer algumas substituições com objetos ou materiais que você tenha em casa ou tente criar as suas próprias ferramentas.

Importância da organização

Organizador de materiais em forma de prateleira

Mesmo que esteja começando agora a trabalhar com artesanato, não esqueça de manter organizado o seu local de trabalho.

Por trabalhar com muitos materiais diferentes e de vários tamanhos, é possível que você, em algum momento, misture peças e não consiga localizar um material imprescindível para aquele momento. Para evitar apertos:

  • Utilize caixas ou cestos organizadores com o nome de cada material.
  • Um pequeno armário ou baú para guardar as ferramentas com segurança.

Lembre sempre e prezar pela qualidade do seu produto. Capriche na costura, no acabamento, na decoração e nos detalhes. Utilize bons materiais e ferramentas adequadas. Mesmo que use substituições, procure dar o melhor de si na hora do trabalho.

E converse bastante com o seu cliente até entender o que ele realmente deseja. A recompensa financeira vai depender muito da boa aceitação e da qualidade do produto que você oferece.

 

E aí, espero que tenha gostado de todas as nossas dicas. Diga o que achou do texto nos comentários. Nos vemos no próximo artigo.

 

Fonte das imagens:

https://bainbridgebarn.wildapricot.org

https://br.pinterest.com

foto com livros antigos enfileirados

Breve História da encadernação artesanal

 

 

Encadernar é organizar a união de todos os arquivos de uma obra, com uma costura sólida, este tem o intuito de formar um único volume compacto. A encadernação é feita para que esta obra seja mais bem protegida e apresentada ao leitor da obra arquivada.

A encadernação também permite que seja mais fácil manusear as folhas que apresentam tudo o que foi escrito, facilitando a compreensão do material. Além de ser usada para o intuito comercial, a encadernação, quando é bem feita, também auxilia na prevenção de documentos.

Apesar de interessante, a história da encadernação artesanal é pouco conhecida, e muitas vezes não é percebido sua importância para a história da própria humanidade, já que são através de vários documentos que temos acesso aos acontecimentos de outras épocas.

Se você tem dúvidas sobre como ocorreu a história, acompanhe o artigo para conhecer melhor sobre esse assunto, desde o império romano até os dias atuais.

História da Encadernação

A origem verdadeira da encadernação está no códices, que possuíam uma formato parecido com os dos livros atuais. Estes apareceram em maio ao século I/II depois de Cristo, na época do império Romano.

Os cadernos, antigamente, eram costurados com tiras de couro flexíveis em ângulo reto, e os livros eram feitos de folhas simples de pergaminho, costurado na dobra com nervos.

Pergaminhos.

pergaminho escrito

Após alguns anos, o papel se tornou maior e era preciso ser dobrado mais vezes. Por isso o pergaminho tendia a ondular, o que atrapalhava no trabalho de escrever. Então, para manter as folhas planas, se prendia duas pequenas tabuletas nas extremidades do papel.

Depois de um tempo passou-se a cobrir essas tabuletas e o dorso com couro, criando-se, assim, a lombada. E estes foram os primeiros passos para a encadernação artesanal, porém é importante salientar alguns antecedentes que podem ter sido responsáveis por esse resultado.

  • Egito: Ainda no Egito, desenvolveu-se um método para a proteção do papiro (o primeiro papel, criado na própria região). Através da colagem de tiras na borda do papiro era possível que os documentos fossem mais preservados.
  • Grécia/ Roma: Os rolos de papiro ou pergaminhos, chamados de volumia, eram envolvidos em caixas ou estojos. Os documentos que ficavam nas bibliotecas eram guardados dentro de um cilindro de madeira ou metal.

• Período medieval.

Este é o período mais importante para o aperfeiçoamento da arte de encadernação. Durante a alta idade média os mosteiros e abadias detiveram todo o controle de produção de livros.

Os únicos que poderiam exercer o ofício de encadernador eram os frades escolhidos para a tarefa. Algumas outras encadernações tinham autorização de serem executadas em oficinas particulares.

Nesse caso os encadernadores trabalhavam juntos com os copistas. Estes eram responsáveis por fazer manuscritos para as pessoas leigas. As principais características da encadernação medieval eram sua solidez e peso, podendo conter até fechos de metal.

• Encadernação renascentista.

No fim do século XV, surgiu na Itália a encadernação renascentista, patrocinada por bibliógrafos. Fazendo com que estas fossem bem realizadas e tivessem um estática bastante agradável, representando toda a beleza estética que a sociedade tanto admirava.

Nessa época as encadernações passaram a ser mais leves e mais sofisticadas. Além de surgirem encadernações de pequenos formatos.

Evolução das Técnicas de Encadernação

Homem em atelie preparando lombada de um livro

Essas épocas citadas foram as mais influentes para a encadernação artesanal que temos nos dias atuais, a partir delas podemos identificar diferentes formas de trabalho que surgiram ao longo dos anos e como o trabalho artesanal sempre é bem está em desenvolvimento. As técnicas vão se aperfeiçoando, e a partir delas, vão surgindo novos modelos de decoração de encadernação.

Durante alguns anos a encadernação não evoluiu, ou não se alterou, devido ao pouco espaço que era dado à essa arte. Porém, ultimamente essas técnicas estão cada vez mais populares e conquistando mais admiradores.

A encadernação é uma arte que está presente desde a época dos Egípcios, que criaram a primeira forma de proteção para seus documentos. Mas, hoje em dia, já é algo utilizado para a estética e embelezamento na produção de livros ou cadernos.

E o principal influenciador disso, acredite ou não, é a tecnologia. Com os métodos de arquivo de documentos de maneira digital, a arte artesanal ficou mais valorizada devido à sua beleza física que hoje pode ser substituída por máquinas. Portanto, é algo exclusivamente feito para ser bonito.

Claro, ainda é utilizado para anotações ou para guardar arquivos, porém tem um intuito mais nostálgico de admiração do que de realmente necessidade, e isso fez com que a encadernação artesanal se tornasse uma obra de arte.

Processos de Encadernação

Existem muitos tipos de processos de encadernação hoje em dia, mas, ainda assim, é possível classificar as mais utilizadas e valorizadas na encadernação artesanal.

• Costuras

O processo mais variado é o método da costura, este apresenta algumas opções que poderão ser escolhidas dependendo da maneira como deseja que o caderno ou livro aparente.

  • Longstitch: Nessa técnica, a costura é iniciada no miolo e fica à mostra. Essa costura vai em direção às extremidades da peça. Não possui a necessidade de uso de cola e o resultado é muito bonito. Geralmente mais utilizada em álbuns de fotografias. (Veja fotos dessa e de outras técnicas nesse outro artigo)
  • Brochura: Esse método é mais utilizado para a produção de cadernos e agendas, e por isso geralmente são feitos em grande escala, de maneira automatizada. Porém, também é bastante feita de maneira artesanal, e não existe muita complicação.
  • Bradel: O método bradel lembra o longstitch, porém nesse tipo de costura o miolo não fica aparente, só vemos o bloco de costura sobre a lombada.
  • Belga: Nessa costura é feita a união da capa, contracapa, lombada e miolo. É bastante elegante e um pouco diferente das que somos mais acostumados a ver.
  • Encadernação japonesa: A costura japonesa é uma das mais antigas e pode ser feita com diferentes padrões. Ou seja, existe uma grande variedade à ser explorada para realizar esse tipo de encadernação artesanal, desde os métodos mais simples aos mais complexos. Geralmente essa costura é utilizadas para encadernar pequenos volumes.

Deixe seu comentário abaixo dizendo o que achou da história da encadernação artesanal 🙂

Ganhe um cupom de 10% de desconto na primeira compra de um dos nossos produtos ou cursos.

Ganhe um cupom de 10% de desconto na primeira compra de um dos nossos produtos ou cursos.

 

Fonte Imagens:

Como combinar cores no artesanato

 

cores-no-artesanato-como-usar

 

As cores presentes em peças artesanais fazem toda a diferença para o apreciador, mesmo que este não perceba. São graças a elas que as obras artesanais são capazes de transmitir sua delicadeza ou ferocidade de maneira mais singela.

Quando as cores são escolhidas e aplicadas de maneira harmônica, estas têm a capacidade de deixar as peças trabalhadas manualmente mais bonitas e podem agregar mais valor a este material, sendo assim, de vital importância para o resultado final.

Porém, a criação de uma paleta de cores pode não ser fácil para muitas pessoas e, por isso, existe a teoria das cores, que é uma forma mais simples para trabalhar a distribuição dos tons. Essa teoria serve para diferentes formas de artesanato, desde pinturas em porcelanas até contas para bijuterias.

Apesar disso, muitos artistas não sabem trabalhar com as combinações perfeitas de cores, e isso afeta diretamente na qualidade da sua obra. Se você tem dúvidas sobre como trabalhar a harmonia perfeita dos tons, acompanhe as dicas nesse artigo para aplicar no seu artesanato de forma eficaz e bonita.

 

#A teoria das cores

 
O que é?
 
A teoria das cores é o resultado de vários estudos relacionados à luz em contato com os diferentes tons. Este sistema procura organizar todo esse estudo para tornar mais fácil trabalhar com a escolha de cores.
 
O estudo da difração consistia, antigamente, na decomposição da luz solar em várias cores. Essas cores foram, então, trabalhadas de melhor forma como um espectro.
Esse espectro é formado, respectivamente, pelas cores laranja, amarelo, verde, azul, anil, violeta e vermelho, que são as que compõem o arco íris.

Cores no artesanato

O círculo cromático.
 
O círculo cromático, que é o espectro apresentado anteriormente, contém os 12 tons que cada uma dessas cores pode apresentar inicialmente. O círculo nos ajuda a visualizar as cores primárias, secundárias e terciárias, como se pode perceber.

 

  •  Cores primárias: São as cores puras, como o vermelho e o azul e o amarelo.
  • Cores secundárias: As cores secundárias são à união dessas cores primárias, como o laranja (amarelo e vermelho) e o verde (Amarelo e azul).
  • Cores terciárias: As terciárias, seguindo o exemplo das outras combinações de cores, é a mistura das cores secundárias com primárias. Por exemplo, a cor vermelho-arroxeado e o amarelo verde.

 

Preto e branco.
 
As cores preto e branco, apesar de não estarem visivelmente expostas no círculo monocromático, ambas fazem parte dele. A cor branca é uma reflexão total das setes cores, ou seja, é a luz pura. O preto é a ausência total dessa luz, já que estas não serão refletidas e sim, absorvidas.

 

#Como usar a teoria das cores no seu artesanato

 
A teoria das cores é a melhor forma para criar uma boa combinação de cores e aplica-las em diferentes peças artesanais. Com esse método e um pouco de criatividade, é possível transmitir, através dessas combinações, diversos sentimentos que o próprio artista deseja que o observador da peça sinta.
 
Seguindo algumas regras de combinações do círculo cromático, fica mais fácil provocar inspirações, reações fisiológicas e mudança no estado de espírito.

 

 

  • Cores acromáticas: As cores acromáticas são geralmente utilizadas com o intuito de transmitir calma e discrição. São as que possuem tons pasteis, como o cinza, marfim, bege e o preto.
  • Tríade: A combinação tríade é quando são escolhidas três cores distintas do círculo cromático. O método utilizado para escolher as cores ideais é através de um triângulo “imaginário” dentro do círculo. Por exemplo, se você quiser usar este método, e a cor que não pode faltar no seu artesanato é o azul, então as outras duas cores que deverão ser escolhidas serão o amarelo e o rosa.

 

nas cores triadicas o amarelo rosa e azul combinam

  •  Cores análogas: As cores análogas são as que estão uma do lado da outra no círculo. Dão uma impressão de decomposição da cor, quando utilizadas no artesanato e, por isso, parecem bastante alegante

 

cores como o laranja e amarelo são analogas

  • Cores complementares: As cores complementares são encontradas, no círculo cromático, sempre opostas umas às outras. Esse método é utilizado para criar maior contraste na combinação de cores que serão adicionadas ao artesanato. Neste caso, quando se quer dar destaque a alguma cor, é necessário usar sua cor oposta.

o vermelho e verde são complementares

  • Cores complementares decompostas: Esta segue o mesmo raciocínio das cores complementares, pois também tem o intuito de fazer um contraste. Mas, nesse caso, são utilizando três cores para isso.

o laranja, roxo e verde são complementares decomposto

Com as técnicas apresentadas, já será possível trabalhar de maneira mais objetiva e com melhor resultado na escolha das cores que deverão fazer parte das peças artesanais.

 

#Temperatura das cores

O conceito de “temperatura das cores” afirma que as cores podem ser separadas em duas temperaturas: quentes e frias.
 
As cores quentes são as que podem ser associadas ao fogo, que no caso são as cores vermelho, amarelo e laranjas. E as frias são as associadas à água, como o azul, violeta e verde.
 
As cores quentes e frias também serão separadas dentro de suas características quando se tornarem terciárias, como o vermelho-alaranjado, por exemplo.
 
Representação das cores.
 
Essas denominações influenciam, inclusive, nas representações das cores. Veja respectivamente a representação de cada uma delas, para que seja mais eficiente a influencia e sentimento que deseja transmitir através das obras artesanais.

 

  • Vermelho: Está relacionada a sentimentos intensos, representa ação, raiva, paixão e rebeldia.
  • Amarelo: Criatividade, otimismo e felicidade.
  • Laranja: Vitalidade e energia.
  • Roxo: Nobreza, mistério e magia.
  • Azul: Inteligência, paz e pureza.
  • Verde: Frescor e renascimento.

 

#Característica das cores

 

Além de todas essas técnicas e estudos relacionados a melhor maneira de utilizar as cores e o que cada uma pode transmitir, existem algumas curiosidades interessantes que devem ser levadas em consideração.

 

As três importantes características das cores são:

 

  • Matiz: O matiz é o que define a tonalidade das cores. Como o amarelo e o roxo, não importando se estas são primárias secundárias ou terciárias.
  • Tom: O tom é a quantidade de luz que está presente em cada cor, quanto mais luz esta cor refletir, mais clara essa tonalidade será. Como no caso do preto e branco.
  • Intensidade: A intensidade se refere ao brilho presente na cor, isto é, se é uma cor forte ou baixa. A cor amarela, por exemplo, apresenta uma forte tonalidade, devido ao seu alto brilho Diferente da cor marrom, que é bastante opaca.

 

 Quer aprender mais sobre o uso das cores, textura e mais dicas sobre artesanato? Confira o nosso E-book abaixo disponível na Amazon (Clique Aqui)
 
guia-completo-do-artesanato

 

Gostou do Artigo? Deixa um comentário Abaixo:

Dicas Para Ganhar Dinheiro Com Encadernação Artesanal

 

 

Se você está precisando ganhar dinheiro e tem habilidade com trabalhos manuais você pode começar a trabalhar com encadernação artesanal.

A encadernação artesanal consiste em uma técnica de encadernar objetos como agendas, álbuns de fotografia, diários etc. Por ser um procedimento manual, a encadernação artesanal oferece total personalidade ao que é manipulado.

A encadernação artesanal está muito em alta ultimamente. A tendência do momento é o “faça você mesmo”. A ideia é que você possa fazer seus próprios produtos. Além de garantir economia, você pode também usufruir de um item que tem tudo a ver com a sua personalidade. Com a sua marca.

Se você achou interessante e gostaria de aprender mais como fazer renda extra aplicando esta técnica do artesanato, fique atento às ideias que lhe mostraremos a seguir.

 

# Para que serve essa técnica?

 foto de encadernacao artesanal ganhar dinheiro

O objetivo inicial da encadernação é a reunião de papéis soltos que se relacionam ao mesmo assunto. Livros e cadernos são bons exemplos. Com o tempo e a criatividade das pessoas, esta técnica passou a abranger mais duas funções:

  1. Conservação do conteúdo escrito.
  2. Conferir beleza a itens de papelaria como agenda e cadernos.

E aí é que começamos a falar de encadernação artesanal. É uma prática feita totalmente a mão, sem uso de máquinas. Com cores e apliques diversos que dependem da criatividade de quem está produzindo.

A encadernação artesanal possui diferentes modelos de costura como a brochura, modelo que mais conhecemos, o que proporciona variedade na confecção. Além disso, podem ser utilizados materiais como velcro, tecido, papelão dentre outros.

 

# Idéias de encadernação artesanal

 

  • Agendas: É um dos itens mais procurados e é também um dos procedimentos mais simples.
  • Planner: Um pouco diferente da agenda, o planner contém, além dos dias do ano, espaços para escrever sobre quase tudo na vida: séries que está assistindo, o que está estudando, planilhas de controle financeiro etc. 
  • Álbuns de fotografias: casamento, bebês, festas de 15 anos etc. Pode ser para presentear ou apenas para conservar de uma forma criativa os momentos felizes.
  • Cadernos de empresas: Principalmente se a empresa incentiva a produção própria e independente. Pode ser um ótimo local para oferecer seu produto de encadernação artesanal.
  • Trabalhos acadêmicos: É um serviço mais sóbrio, mas também com muita oferta de trabalho, devido ao grande número de universitários.
  • Livros de receitas. Reúna as receitas mais tradicionais que não podem faltar em datas festivas. Ou separe-as por tipos: doces, salgados, light etc. Deixe folhas em branco para anotações de novas receitas.
  • Diário alimentar: Manter uma vida saudável é objetivo de muita gente atualmente. Por que não fazer parte deste movimento que cresce a cada dia?
  • Caderno de assinaturas utilizados em chá de fraldas e outros eventos. Os convidados podem deixar por escrito o carinho pelos anfitriões da festa.

 

# Como aprender a fazer encadernação artesanal?

 

A encadernação artesanal é uma prática simples, porém exige habilidade e aprimoramento das técnicas aprendidas. Veja onde você pode aprender mais.

 

  • Cursos presenciais. Procure por lojas de artesanato no centro da sua cidade. Muitas delas oferecem cursos diversos.
  • Internet. Além de inspiração, você também vai encontrar alguns cursos online que podem ser assistidos no seu tempo livre.
  • Pratique muito em casa. Faça cadernos, pequenos blocos de anotações, faça para a família e amigos. A prática é a melhor forma de aprender.

 

# Características de quem trabalha com artesanato

 

O artesanato em geral é uma forma de trabalho e diversão que exige algumas qualidades de quem a pratica. Listamos algumas dessas características abaixo. Veja se você se identifica.

 

  • Habilidade. Apesar de ser uma técnica que todos podem aprender, o artesanato exige habilidade manual para a realização de um trabalho bem feito. Com a encadernação artesanal não é diferente.
  • Paciência. Afinal, todo o trabalho é feito manualmente e cada material tem seu tempo para secar.
  • Criatividade. É importante ficar atento às novidades, inovações, fazendo novos cursos e buscando inspirações para fazer um trabalho moderno e diferenciado.
  • Concentração. Algumas peças de encadernação, por exemplo, podem demandar foco, devido à delicadeza de detalhes e à diversidade de costuras.
  • Poder de negociação. Muitas pessoas, apesar de se surpreenderem com o trabalho de um artesão, tentam derrubar o preço do produto. Nesse caso, cabe a você decidir se vale a pena ou não fazer essa redução.
  • Dedicação. Dedicar atenção, tempo e carinho faz parte da vida do artesão não só na produção em si, mas também na aquisição de conhecimento.
  • Amor pelo trabalho. É preciso gostar do que faz. Por ser um serviço que demanda muitas qualidades, o artesanato deve ser encarado como uma realização profissional.

 

# Como comercializar seus produtos?

Faça a divulgação do seu novo trabalho. Avise à família e amigos que agora está trabalhando com encadernação artesanal e tenha sempre exemplares prontos para servir de amostra. Mais dicas:

  • Divulgue nas redes sociais. É uma forma muito prática e barata de oferecer o seu produto a uma grande quantidade de pessoas (Aprenda mais sobre divulgação em redes sociais clicando aqui).
  • Visite feiras de artesanato, participe de grupos. Conheça outras pessoas que também trabalham com encadernação artesanal.

 

Qualidade é importante

 

Ao escolher trabalhar com encadernação artesanal não esqueça de prezar pela qualidade do seu produto. Capriche no acabamento e nos detalhes. Utilize bons materiais. E converse bastante com o seu cliente até entender o que ele realmente deseja.

 A recompensa financeira vai depender muito da boa aceitação e da qualidade do produto que você oferece.

O trabalho de encadernação artesanal pode fazer parte de momentos muito emocionantes e importantes na vida de uma pessoa como casamentos, aniversários, colação de grau dentre outros. Isso é um grande estímulo para a produção de um material bonito e de qualidade.

Apesar de estar em crescimento, a valorização do artesão e de seus produtos ainda não é o ideal. Mas isso não é impedimento para você ganhar dinheiro fazendo artesanato. Principalmente se você gosta de trabalhar com isso. Aprenda as técnicas, comece a praticar e consiga sua realização profissional.

 

E então, gostou das nossas dicas? Não deixe de compartilhar com seus amigos. Um grande abraço e até o próximo artigo.

Ganhe um cupom de 10% de desconto na primeira compra de um dos nossos produtos ou cursos.

Ganhe um cupom de 10% de desconto na primeira compra de um dos nossos produtos ou cursos.